segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Equipe tem folga e só treina amanhã

O Paysandu volta a jogar somente na noite da próxima segunda-feira, às 21h30, contra o Botafogo-PB, em João Pessoa. Para este compromisso, o Paysandu não poderá contar com o zagueiro Charles e nem com o meia Djalma. Ambos receberam o terceiro amarelo e terão que cumprir suspensão automática. Já o lateral direito Éverton Silva, que sofreu um estiramento na coxa esquerda, passou a ser dúvida para o jogo e dificilmente ganhará condições a tempo.
Como ganhou uma semana inteira para preparar sua equipe, o técnico Mazola Júnior aproveitou o tempo extra de preparação para dar uma folga um pouco maior ao seu elenco. O treino que estava programado para a tarde de hoje foi cancelado e a reapresentação adiada para amanhã. De acordo com Mazola Júnior, esta é uma maneira de amenizar o desgaste físico de alguns jogadores.
“Cancelei o treino de segunda-feira à tarde. Nos apresentamos na terça de manhã para retomarmos os treinos”, confirmou o treinador bicolor. “Alguns jogadores estavam há muito tempo sem jogar e sentem esse desgaste. Alguns jogadores que já estavam aqui também estão sentindo um esgotamento, segundo os fisiologistas.”
**Fonte JAmazonia

Paysandu sente a falta de um goleador no time

Na lista dos 25 jogadores contratados pelo Paysandu para a temporada deste ano, nove são atacantes. Apesar do número relativamente alto de atletas da posição, o Papão, desde a saída der Lima, após a paralisação do Brasileiro, devido o Mundial, carece de um autêntico goleador. Os jogadores vindos para substituir o atleta, que se transferiu para o Ceará, assim como aqueles que já estavam na Curuzu, não têm dado conta do recado. Os atacantes não estão conseguindo corresponder à expectativa do técnico Mazola Júnior e menos ainda dos torcedores.
Diante do jejum de gols dos supostos goleadores do elenco, a diretoria do Papão, atendendo pedido de Mazola, procura um novo “matador”, que venha para, finalmente, ajudar o time a chegar ao tão sonhado acesso à Série B de 2015. Isaac, do América-RN, chegou a acertar com o clube, mas acabou desistindo do acordo, alegando problemas de ordem pessoal. A busca de outro jogador, porém, continua, ainda que faltem apenas cinco rodadas para o final da Terceirona e a oferta de atletas de qualidade no mercado seja escassa.
Diante de tanta dificuldade, Mazola vai tentando se arrumar com o que tem em mãos no momento, esperando pelo milagre da chegada de um goleador de verdade à Curuzu. Entre os atletas que o técnico dispõe está Dênnis, que seria a bola da vez para ocupar o lugar de Lima. O atacante até tem feito gols, mas não consegue manter uma regularidade. Ruan, que teve um bom começo, figurando, inclusive, como principal artilheiro do time na Terceirona, com três gols, está entregue ao departamento médico.
As demais opções de Mazola para tentar corrigir a deficiência são, Bruno Veiga, Rômulo e Jéferson Maranhense, todos recém-chegados à Curuzu, carecendo de melhor condicionamento físico e entrosamento com o restante do time. Já, Héliton e Leandro Carvalho, a exemplo de Ruan, estão sob cuidados médicos, sem previsão de quando serão liberados para os treinos e, consequentemente, jogos do Papão na temporada.
**Fonte Diário do Pará

Agora vem a fase complicada

O técnico Mazola Júnior saiu da Curuzu contente, na noite de sábado, após a vitória contra o Salgueiro-PE, por 1 a 0. Mas o resultado ainda não foi suficiente para deixá-lo completamente satisfeito com o rendimento da equipe. Depois da derrota pelo mesmo placar na rodada anterior, para o ASA-AL, o comandante bicolor não viu evolução no Paysandu no setor de criação. Segundo ele, o time precisa ter um meio de campo mais “competitivo” se quiser buscar a classificação à próxima fase da Série C do Campeonato Brasileiro.
“Atrás, as coisas estão melhorando bastante, mas na zona intermediária estamos mal. Não estamos conseguindo achar o jogo”, avaliou Mazola. “Estivemos bem dos dois volantes para trás. Mas, daí em diante, praticamente inexistiu marcação e não pode ser assim. Nesses cinco jogos, se não formos mais competitivos no meio do campo, teremos sérias dificuldades”, alertou.
Para melhorar o desempenho no setor de ligação com o ataque, Mazola espera poder contar com os jogadores contratados recentemente pela diretoria do clube, embora alguns deles tenham chegado à Curuzu longe da melhores condições de jogo. “Não conseguimos até o momento fazer os jogadores que chegaram render o que podem. A maioria chegou muito abaixo fisicamente”, lembrou o treinador. “Nossa armação não está funcionando. São jogadores que têm condições de render mais do que estão fazendo. Por isso, vamos ter que nos superar nessa reta final.”
Os três pontos conquistados dentro de casa foram suados e igualmente comemorados por Mazola e pelo elenco bicolor, especialmente por ter deixado o Paysandu a apenas dois pontos do almejado G-4 - a zona de classificação para a segunda fase da Série C. Mas o treinador prevê que, a partir de agora, o Papão não terá vida fácil na Terceirona. Na visão dele, a reta final desta primeira fase será o momento mais complicado da competição. Por isso, ele já estuda até mesmo uma forma de jogar diferente para a equipe alviceleste, muito mais baseada na imposição física do que na técnica.
**Fonte JAmazonia

domingo, 31 de agosto de 2014

Ficha Técnica: Paysandu-PA 1X0 Salgueiro-PE


Paysandu-PA 1X0 Salgueiro-PE
Campeonato Brasileiro
Serie C - 13ª Rodada

Local: Nova Curuzú
Renda: R$ 273.034,00
Público: 8.702 

Arbitro: Wagner dos Santos Rosa-RJ
Auxiliares: Lorival Candido das Flores-RN e Vinicius Melo de Lima-RN
Cartão Amarelo: Augusto Recife, Djalma, Charles, Fábio Alves (PSC); M. Tamandaré, Valdeir (SLG)
Gol: Djalma (PSC) 14¨ do 1º tempo

Paysandu:
Paulo Rafael, Everton (J.Maranhense), Charles, Fernando Lombardi e Fábio Alves, Augusto Recife, Zé Antônio, Djalma e Pikachu, Héverton (Raul) e Dennis (Rômulo)
Técnico: Mazola JR

Salgueiro
Luciano, Tamandaré, Ranieri, Ricardo Braz e Pery, Moreilândia (José Roberto) Vitor Caicó, Daniel e Anderson Paraíba (Rodolfo); Elvis e Fabrício Ceará (Valdeir)
TécnicoFernando Alcântara

Mazola pede um Paysandu mais competitivo na reta final da Série C

O Paysandu conseguiu vencer o Salgueiro por 1 a 0 na noite deste sábado e deu um grande passo na briga pela classificação à próxima fase da Série C do Brasileiro. O Papão agora está há três pontos do próprio time pernambucano, o primeiro do G4. O técnico Mazola Júnior acredita que o resultado será importante para a sequência da competição nacional.
- Nesse jogo era importante que nós ganhássemos, independente de jogar bem ou não. Nesses últimos cinco jogos praticamente vamos viver um outro campeonato, com um nível de competitividade maior e essa vitória foi fundamental. Se não ganhássemos, o Salgueiro ficaria com seis pontos de diferença da gente e não adiantava mais sonhar. O resultado veio dar, principalmente, a tranquilidade e possibilidade de recuperar alguns jogadores.
Apesar dos três pontos, o time do Paysandu apresentou uma atuação irregular. O meio-campo mostrou muitos problemas na ligação com o ataque, fato que desagradou o treinador bicolor. Mazola afirmou que o clube precisa de uma outra postura nos cinco jogos que restam na fase de classificação da Terceirona. Ele pontuou os problemas de formação do elenco para o torneio, principalmente dos jogadores de armação e ataque que foram contratados recentemente, que não estão rendendo o ideal.
- A nossa linha média e o ataque estão mal no aspecto físico, não estão conseguindo render o que se espera. No papel, está tudo bonito, mas na realidade, dentro de campo, eles não estão conseguindo fazer. Consertamos lá atrás, ganhamos uma estabilidade, mas o meio-ofensivo inexistiu na combatividade e não podemos ter esses problemas se quisermos buscar essa classificação. São cinco jogos, cinco guerras. É muito mais transpiração do que inspiração. Esse tem que ser o nosso jeito de jogar daqui pra frente.
No final, Mazola parabenizou o torcedor do Paysandu, que compareceu em grande número e incentivou a equipe na reabertura do Estádio da Curuzu. Ele lembrou que, caso o time não tivesse que ter jogado longe de Belém em razão de punições impostas pelo STJD, a colocação do clube na tabela de classificação seria outra.
- A torcida do Paysandu é maravilhosa. Quando ela está presente, é difícil o adversário conseguir jogar. Isso só vem confirmar aquilo que sempre disse. Infelizmente, por causa de vândalos, o clube e o torcedor são penalizados. Com certeza, se não tivéssemos perdido tantos mandos, o Paysandu estaria em uma situação diferente da que está hoje. A Fiel está de parabéns. Fez um sacrifício para ajudar o clube nesse momento difícil que está passando, e isso nos deu uma “gasolina”, uma vontade a mais para a gente.
**Fonte GloboEsporte/PA

Torcida vira o diferencial

Jogadores exaltam presença da Fiel na Curuzu e dizem que a partir de agora ela vai mover o time
Para os jogadores do Papão, a vitória sobre o Salgueiro-PE não pode ser diminuída, mas a caminhada no restante da competição ainda é longa e complicada. “Temos que ter os pés no chão. Ainda precisamos de uma sequência boa para nos recuperarmos”, disse Paulo Rafael. “Foi difícil como sabíamos que seria. Estávamos ansiosos pela vitória e erramos algumas bolas fáceis. Felizmente, mesmo assim conseguimos a vitória”, completou o meia Raul.
O que os presentes em campo ontem fizeram questão de fazer foi exaltar a participação da Fiel. De acordo com o zagueiro Fernando Lombardi, os torcedores fizeram o diferencial numa partida marcada pelo equilíbrio. “Nossa torcida é incrível. Ela fez falta na maior parte do campeonato e tenho certeza que a partir de agora ela será nosso diferencial.”
Já o técnico Mazola Júnior foi além. Ele afirmou que se tivesse sido assim desde o começo da competição, com jogos de portões abertos, o Papão estaria numa situação mais confortável na Terceirona, brigando palmo a palmo pela classificação. “A torcida do Paysandu é maravilhosa e quando é assim é muito complicado para o adversário. Isso só confirma que não fossem alguns vândalos o Paysandu estaria melhor. Fomos muito penalizados e isso ficou claro contra o Salgueiro. Se não tivéssemos perdido tantos mandos nossa situação seria diferente, para melhor.”
Mazola valorizou a vitória ao lembrar que qualquer outro resultado deixaria a classificação muito complicada. Para ele, os três pontos darão tranquilidade para planejar melhor qual equipe mandar a campo semana que vem. “Isso nos deu um combustível a mais para encarar esses cinco jogos restantes. Esse jogo era importante que ganhássemos, independente de jogar bem. Nessas rodadas restantes o nível vai aumentar e se não tivéssemos vencido, seria complicado demais. A classificação passaria a ser um sonho”, disse. “A vitória nos dá tranquilidade, a possibilidade de recuperar jogadores que estão no limite e trabalhar mais com quem está atrasado fisicamente”, completou o treinador.
Atendimento - Tão logo o árbitro fluminense Wagner dos Santos Rosa apitou o fim do jogo, o volante Zé Antônio desabou no gramado. O que parecia ser apenas cansaço, mostrou-se passível de uma atenção maior. O jogador sentiu um mal estar e reclamava de tonteira. Atendido pelo departamento médico bicolor, ele foi encaminhado para uma clínica particular de Belém para maiores exames.
**Fonte JAmazonia

Paysandu sofre, mas vence o Salgueiro na Curuzu

Com gol de Djalma no primeiro tempo, bicolores voltam a sonhar com o G4 da Série C
Foi difícil, sofrido, bem ao estilo das principais conquistas bicolor jogando em casa. O retorno do Paysandu na Curuzu, entretanto, foi de vitória, contra o Salgueiro-PE, velho algoz, pelo placar de 1 a 0, reacendendo a esperança de classificação do Bicola.
Em um primeiro tempo de jogo ruim, o Paysandu não foi melhor em campo, mas conseguiu marcar o gol que lhe garantiu a vitória. Aos 13 minutos da etapa inicial, o meia Djalma arriscou chute de fora da área, desviando na defesa e entrando, garantindo mais três pontos na tabela de classificação da Terceirona.
Com a vitória, o time comandado por Mazola Júnior subiu para o sexto lugar, com 16 pontos, três a menos que o primeiro clube na zona de classificação para a próxima fase, o próprio Salgueiro, que acumula 19.
Na próxima rodada, o Paysandu joga fora de casa, contra o Botafogo-PB, na segunda-feira (8), às 21h30.
1º Tempo: Djalma e a sorte a favor do Papão - Ainda bem que acabou. Esse foi o sentimento do Paysandu ao final dos primeiros 45 minutos de jogo contra o Salgueiro, na Curuzu. O Papão entrou com ímpeto, vontade, dava pinta de que iria fazer bonito, mas o time parou em um espírito ofensivo dos pernambucanos, que vieram determinados a estragar a festa alviceleste.
Aos poucos, o Salgueiro dominou a posse de bola e passou a ter as principais jogadas ofensivas, mas finalizando pouco contra o gol do goleiro Paulo Rafael que, até então, assim como Luciano, eram espectadores dentro das quatro linhas.
Retraído, o destino e a sorte deram uma mãozinha para os donos da casa, que saíram na frente, marcando o primeiro gol no novo Leônidas Castro, a Curuzu. O meia Djalma recebeu passe, abriu espaço e mandou chute a gol, contando com desvio na defesa adversária, que matou o goleiro, fazendo a alegria da Fiel. 1 a 0.
O destino, aliás, devolveu Yago Pikachu para a lateral direita, já que o jogador Everton Silva sentiu lesão na coxa e foi substituído por Jefferson Maranhense, que jogou como segundo atacante. No Salgueiro, também por lesão, Fabrício deu lugar a Valdeir.
Depois do gol, entretanto, o Paysandu continuou dando muito espaço para a criação de jogadas do clube visitante. A zaga, principalmente, errava na saída de bola, mas fez o necessário para não tomar gols na etapa inicial, que terminou com vitória parcial do Papão.
2º Tempo: Resultado mantido, vitória garantida - Na etapa final, o Salgueiro voltou a mexer no time, colocando mais um jogador ofensivo. O Paysandu, por sua vez, não alterou nenhum jogador, mas teve postura diferente nos primeiros minutos, dando muito trabalho para a marcação do rival.
Com a melhora do time listrado, o jogo ganhou em todos os aspectos, ficando mais aberto. O Paysandu teve a sua chance de marcar o segundo o garoto Yago Pikachu. Em falta na entrada da área, o lateral pediu a preferência e mandou com categoria no travessão, faltando pouco para entrar.
O Salgueiro também teve o seu momento de assustar o goleiro adversário. Charles, diferente de outras rodadas, não vivia uma boa noite e não mostrava segurança. Paulo Rafael, quando preciso, estava atento e fazia boas defesas, ou contava com a trave, como no chute de Daniel que bateu no poste alviceleste.
O final do jogo foi de confusão com gandula, torcedor arremessando garrafa de plástico para o gramado e muita reclamação em torno da arbitragem, mas nada que fosse capaz de mudar o placar e tirar a primeira vitória do Paysandu depois da reforma na Curuzu.
**Fonte Portal ORMNews

sábado, 30 de agosto de 2014

Para Mazola, torcedor é peça fundamental na equipe

Parece estar definido o time do Paysandu que enfrentará o Salgueiro-PE neste sábado (31), pela Série C do Campeonato Brasileiro. A única dúvida do técnico Mazola Junior - que pretende definir com sua comissão técnica - é o meio campo.
“No meio ainda estamos com uma dúvida em optar pela forte marcação e velocidade do Djalma ou o poder de criação, com menos marcação e velocidade do Raul ou do Rafael Tavares”, revelou.
Indagado se manterá o mesma equipe que enfrentou o ASA-AL, em Arapiraca, no último final de semana, Mazola foi enfático.
“Nossa apresentação no jogo do ASA foi muito boa. Eu não vi tanta coisa errada, não. Vou procurar ter dentro de campo homens que tem mais pulso no time, no campeonato. Não é por causa de um jogo só que vou crucificar alguém ou vou achar que está tudo errado”, explicou.
Para o treinador bicolor, o novo estado de espírito dos torcedores com as mudanças que vem acontecendo no Papão será fundamental para a conquista de um bom resultado dentro de campo.
“O diferencial será o torcedor bicolor. Se realmente o torcedor vier apoiar, como sempre tem feito, a vida do Salgueiro aqui dentro da nossa casa será muito mais difícil.  Espero que o torcedor venha apoiar a equipe do primeiro ao último minuto para conseguirmos subir mais um degrau em busca da classificação”, acrescentou Mazola.
A equipe pernambucana está na zona do G4, com seis pontos a frente do Paysandu, que está na 7ª colocação, com 13 pontos.
**Fonte Portal DOL

Bomba! STJD exclui Botafogo-PB da Série C do Brasileiro

João Pessoa, PB, (AFI) – O Botafogo-PB foi excluído da Série C do Campeonato Brasileiro. Durante julgamento no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) desta sexta-feira, no Rio de Janeiro, o clube foi punido por pleitear o direito de jogar no Almeidão, em João Pessoa, quando o próprio STJD já tinha interditado o estádio.
Desta forma, além de ser excluído da Série C, o clube ainda terá que pagar uma multa de R$ 30 mil. Para piorar, o Botafogo-PB ainda teria um compromisso marcado para este sábado, em Maceió, pela 13ª rodada, quando iria enfrentar o CR
O clube se valeu das ações de um vereador para jogar no estádio Almeidão, que tinha sido interditado pelo próprio STJD. Para saber se o caso terá ou não validade, é necessário ouvir o presidente do Tribunal, Caio Rocha, para saber se a pena vale a partir de agora ou se aguarda o julgamento do Pleno.
O Botafogo-PB entrou com o pedido no STJD após a entidade interditar o estádio e suspender a partida contra o Sport, marcada para o dia 26 de janeiro deste ano, pela Copa do Nordeste. Assim, os paraibanos entraram na Justiça Comum com o pedido de suspensão da decisão da Justiça Desportiva, além de pedir o adiamento do jogo para o dia seguinte e em outro estádio.
**Fonte Agência AFI

Ficha do Jogo: Paysandu-PA X Salgueiro-PE


Paysandu-PA X Salgueiro-PE
Campeonato Brasileiro
Serie C - 13ª Rodada

Local: Nova Curuzú
Data: 30.08
Hora: 18hs 30m

Arbitro: Wagner dos Santos Rosa-RJ
Auxiliares: Lorival Candido das Flores-RN e Vinicius Melo de Lima-RN

Paysandu:
P.Rafael, E.Silva, Charles, Lombardi e Fabinho. Augusto Recife, Zé Antônio, Djalma (R.Tavares), Héverton e Yago. Dennis
Técnico: Mazola JR.

Salgueiro:
Luciano; Tamandaré, Ranieri, Braz e Daniel; Vitor Caicó, Moreilândia, Peri e Anderson Paraíba; Fabrício Ceará e Élvis.
Técnico: Fernando Alcântara