segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Sem essa de “dor de cabeça”

Técnico do Paysandu garante que desfalques não prejudicam time e aposta alto nos mais jovens

A expulsão de Zé Antônio já na reta final do segundo tempo, por atingir um adversário com um carrinho no meio de campo, foi muito lamentado no Paysandu, que com um jogador a menos em campo acabou tendo sua vantagem sobre o Tupi diminuída de dois para apenas um gol, anteontem, no Mangueirão. Mesmo assim, o técnico Mazola Júnior se mostrou satisfeito com o resultado e elogiou a atuação de sua equipe.
“Lamentamos a expulsão do Zé Antônio. Não havia a necessidade daquele lance e o cartão foi justo. Complicou, mas ainda bem que conseguimos a vitória. A vantagem é nossa e é importante, pois foi conquistada diante de um dos melhores times da competição. Agora é ter os pés no chão em busca desse confronto importantíssimo”, ressaltou o treinador.
Além de Zé Antônio, Mazola também não poderá contar com o volante Augusto Recife na partida de volta. O autor do primeiro gol da equipe no triunfo de anteontem recebeu o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão no sábado que vem, em Juiz de Fora. Apesar de reconhecer a perda de dois de seus mais experientes jogadores, o treinador preferiu dar moral aos prováveis substitutos da dupla. 
“Nunca tive dor de cabeça por causa de ausências. O Lenine fez um trabalho especial e nem foi convocado hoje para continuar trabalhando. Isso foi proposital, pois sabíamos que seria difícil passar incólume da situação que tínhamos. Além disso, o Billy vem treinando muito forte e se recuperando bem”, argumentou Mazola. “Perdemos experiência, sem dúvida, mas podemos ganhar em outras situações com os meninos que vão entrar. Eles têm que ser valorizados e vão ganhar moral”, completou.
Atrasado - Já Zé Antônio, que fez questão de exaltar a importante vitória no primeiro jogo do mata-mata, admitiu ter chegado atrasado no lance de sua expulsão e deixou o cartão vermelho a critério do árbitro. “Tentei chegar, mas me atrasei e peguei o adversário em cheio. É critério do árbitro. Mas o time está de parabéns pela vantagem criada. É lógico que seria melhor se fosse 2 a 0, mas foi um resultado bom.”
**Fonte JAmazonia

Douglas enaltece torcida bicolor na segunda vitória como titular do Papão

No primeiro encontro entre Paysandu e Tupi, pelas quartas de final da Série C, os bicolores saíram na frente na briga pelo acesso à Segundona. Com a vitória por 2 a 1, o Papão tem a vantagem do empate em Juiz de Fora, jogo que acontecerá no próximo sábado. Apesar da falha no gol do Tupi, o goleiro Douglas foi responsável por importantes defesas ao longo da partida e enalteceu força vinda das arquibancadas. Foram mais de 30 mil torcedores no Mangueirão.
– Essa vitória sobre o Tupi foi importantíssima e a torcida teve papel fundamental nisso. O Mangueirão estava com um clima incrível e nos ajudou nos momentos mais complicados. Conseguimos superar o adversário e fizemos uma vantagem. Por menor que ela seja, já demos um passo grande para conquistar a classificação para a Série B – garante o goleiro.
Titular na curta “Era Vica” – quando a equipe não venceu nem um jogo –, Douglas voltou a vestir a camisa 1 do Paysandu na última partida da primeira fase da Terceirona, contra o Crac. O rendimento sob o comando de Mazola Júnior melhorou, já que foram duas vitórias e apenas um gol sofrido. No jogo de volta das quartas, o goleiro espera uma partida mais difícil, porém confia que o grupo conseguirá o sonhado acesso no ano do centenário do Papão.
– O Tupi não é qualquer adversário e mostrou isso na primeira fase com uma grande campanha. Temos que respeitar eles no jogo de volta, mas vamos em busca do acesso, pois é o objetivo de todos aqui no Paysandu. Queremos dar esse presente ao torcedor do Papão, mas precisamos trabalhar muito para que isso aconteça – afirmou Douglas.
A vitória alviceleste encerrou a sequência de 13 partidas de invencibilidade do Tupi. O confronto de volta, no próximo sábado, dia 25, será no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora.
**Fonte GloboESporte/PA

Contra-atacar é a arma

Mazola Júnior diz que vai armar o Paysandu para explorar a necessidade do Tupi-MG partir para cima

Ciente das adversidades de jogar em Juiz de Fora, o técnico do Paysandu, Mazola Júnior, não espera vida fácil no jogo de volta contra o Tupi-MG, sábado que vem, pelas quartas de final da Série C do Brasileiro. O treinador acredita que a derrota por 2 a 1 na primeira partida do confronto motivará ainda mais a equipe mineira. Por isso, ele aposta nos contra-ataques para confirmar a classificação às semifinais e garantir o acesso à Série B 2015.
“O jogo lá deve ser assim, com a gente buscando os contra-ataques”, projetou Mazola Júnior, que espera ver seu time praticando um futebol ainda mais competitvo no próximo fim de semana. “Temos que elevar nossa competitividade lá e, quem sabe, trazer mais uma vitória. Vamos a Juiz de Fora atrás de mais um resultado positivo e o acesso”, afirmou. 
Apesar de lamentar o gol sofrido aos 40 minutos do segundo tempo no jogo de ida, Mazola considerou o triunfo sobre o Galo Carijó vital para o grupo bicolor ganhar confiança com vistas ao duelo decisivo diante dos mineiros. “Nossa confiança aumentou muito por causa desse resultado. O jogo provou que não somos inferiores a eles, a despeito das campanhas dos dois times”, argumentou o treinador. “Para mim está 50% a 50%. A responsabilidade é nossa, também. A vaga está aberta”, acrescentou.
Com relação ao futebol apresentado por sua equipe diante do forte adversário, Mazola disse ter ficado muito satisfeito com a atuação do Paysandu, especialmente no aspecto tático. Para ele, a equipe soube se impor ao longo dos 90 minutos e fez por merecer o resultado que a aproximou da classificação.
“Fizemos um belo estudo do Tupi. Bateu tudo o que estávamos prevendo. Eles não têm muitas variações de esquema e sim de peças. Sabia que eles iam jogar dessa forma e encaixamos a marcação. Fora as bolas paradas, poucos problemas tivemos”, avaliou o técnico bicolor, que também elogiou o fôlego de seus comandados. “Em nenhum momento ficamos devendo fisicamente. O trabalho foi espetacular. Nesse ponto, não há nada a dizer. Trabalho nunca faltou aqui para esse grupo, que merece todos os elogios”, destacou.
**Fonte JAmazonia

domingo, 19 de outubro de 2014

Paysandu e CRB saem na frente e Fortaleza só empata

Campinas, SP, 18 (AFI) – Três dos quatro jogos de ida das quartas de final do Campeonato Brasileiro daSérie C aconteceram neste sábado e Paysandu e CRB saíram na frente. Atuando em casa, o time paraense bateu o Tupi por 2 a 1. Já o time alagoano conseguiu um feito ainda maior, vencendo o Madureira pelo mesmo placar, mas fora de casa. De noite, Macaé e Fortaleza empataram por 0 a 0.

Jogando no estádio Mangueirão, em Belém, o Paysandu-PAvenceu o Tupi-MG por 2 a 1, gols de Augusto Recife e Bruno Veiga, ambos no segundo tempo. Com o resultado, o time de Mazola Júnior terá a vantagem de poder empatar na volta, no próximo sábado, às 16 horas, em Juiz de Fora, para avançar às semifinais e, consequentemente, conseguir o acesso.

O CRB-AL deu um grande passo rumo ao acesso à Série B, ao vencer o Madureira no estádio Aniceto Moscoso, no Rio de Janeiro, por 2 a 1. Jogando fora de casa, o time alagoano contou com os gols de Gabriel e Marcelo Macedo. E agora, mesmo atuando em casa, precisa apenas do empate para comemorar a vaga.
Na partida da noite, Macaé e Fortaleza empataram por 0 a 0, em Macaé. Com o resultado, a decisão fica para o jogo de volta e quem vencer avança. Em acso de empate com gols, o time carioca classifica, afinal na Série C o gol marcado como visitante é critério de desempate.
No domingo, às 18h30, o Salgueiro recebe o Mogi Mirim, no estádio Cornélio de Barros, em Pernambuco, no último confronto que resta para fechar os jogos de ida das quartas de final.
Resultados de ontem:
Paysandu-PA 2X1 Tupi-MG
Madureira-Rj 1x2 CRB-AL
Macaé-RJ 0X0 Fortaleza-CE
Proximo Jogo
Salgueiro-PE X Mogi Mirim-SP
**Fonte Agência AFI

Expulsão prejudica Paysandu e time não vai jogar por vantagem, diz Mazola

“Foi aquilo que tínhamos previsto”. Foi assim que o técnico Mazola Júnior iniciou a entrevista coletiva após a vitória por 2 a 1 diante do Tupi, neste sábado, pelo jogo de ida do mata-mata que vale vaga na Série B do Brasileiro do ano que vem. Apesar de ter levado o gol do adversário no final da partida, o treinador preferiu enaltecer o resultado conquistado pelo Papão e as qualidades do Galo Carijó.
- Uma disputa equilibrada. Vamos realçar uma vitória diante de uma equipe que teve menos problemas que nós durante a competição, que não perdia fazia 13 jogos. A somatória de fatores nos deixa satisfeitos por ter conseguido essa vantagem mínima, mas que não deixa de ser uma vantagem. Pela característica de jogo deles, a eliminatória está aberta. Tenho certeza que, com muito respeito ao Tupi, vamos trazer essa classificação para Belém.
Mazola criticou a postura do volante Zé Antônio, que foi expulso aos 35 minutos do segundo tempo, após um carrinho em Douglas. O treinador acredita que o fato do Papão jogar com um atleta a menos acabou prejudicando as pretensões paraenses de, no mínimo, segurar a vitória por 2 a 0.
- (Prejudicou) Muito. No meu modo de entender, pela experiência que tem e por ser o capitão da equipe, o Zé foi muito afoito no lance, não tinha a necessidade de um carrinho daquele, de frente. Acabou sendo expulso e prejudicou bastante, até pelo papel fundamental que o Zé vinha tendo na bola área, única jogada que o Tupi explorou nos 90 minutos. Realmente complicou bastante. Menos mal que eles não chegaram ao empate.
Para o confronto de volta, que acontece no próximo sábado, a partir das 16h, no Estádio Municipal de Juiz de Fora, o comandante bicolor afirmou que o Paysandu não vai jogar pensando na vantagem do empate.
- Nos jogos que fizemos fora de casa nesse campeonato, com adversário tão qualificados como o Tupi, conseguimos encaixar. Não podemos nos acomodar. Nós não vamos jogar para segurar, mas para discutir o resultado. Não podemos pensar nessa vantagem mínima, pois 1 a 0 dá eles.
**Fonte GloboEsporte/PA

Ficha Técnica: Paysandu-PA 2X1 Tupi-MG


Paysandu-PA 2X1 Tupi-MG
Campeonato Brasileiro
Serie C - Quartas de Finais

Local: Mangueirão (Belém)
Data: 18.10
Hora: 16hs.
Ingressos: Arquibancada: R$40,00 e Cadeiras: R$80,00
Renda: R$ 1.019.979,00
Público Total: 30.510

Arbitro: Rodrigo Batista Raposo-DF
Assistentes: Marrubson Melo Freitas-DF e José Reinaldo Nascimento Junior-DF
Cartões Amarelos: Augusto Recife e Charles (PSC) ; Genalvo ; Henrique e Bruno Barros (TUP)
Cartão Vermelho: Zé Antônio (PSC)
Gols: A. Recife 5" do 2T, Bruno Veiga 19" 2T (PSC) e Rafael Toledo 40" do 2T (TUP)

Paysandu
Douglas; Pablo, Charles e Fernando Lombardi; Yago Pikachu, Augusto Recife (Marcos Paraná), Zé Antônio, Heverton (Ricardo Capanema) e Airton; Ruan e Bruno Veiga (Djalma). 
Técnico: Mazola Junior

Tupi
Rodrigo; Henrique (Admilson), Wesley Ladeira, Fabrício Soares e Rafael Toledo (Bruno Barros); Genaldo, Léo Salino, Maguinho e Everton Maradona; Chico e Elder Santana (Douglas). 
Técnico: Eder Conde

A um empate da Série B

Papão derrota o Tupi-MG por 2 a 1 e agora leva vantagem para decidir o acesso fora de casa

Com o Mangueirão cheio, com quase 30 mil pagantes, o Paysandu saiu na frente na disputa do mata-mata decisivo da Série C contra o Tupi-MG. Ontem à tarde, o Papão fez valer o mando de campo e venceu o Galo Carijó por 2 a 1. As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo sábado, dessa vez no estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG). Com a vitória, o time paraense joga pelo empate para ficar com o acesso para a Série B do ano que vem. Vitória de 1 a 0 para o Tupi beneficia o time mineiro. Outro 2 a 1 para o Carijó e a decisão vai para a penalidade máxima. Qualquer vitória do Tupi por um gol de diferença, mas com o placar a partir de 3 a 2 o Papão garante o acesso para a Série B.
Os gols da partida foram anotados todos na etapa final, com Augusto Recife e Bruno Veiga para o Papão e Bruno Barros para o Galo Carijó. Defendendo uma invencibilidade de 13 jogos e que remontava desde o dia 25 de maio, quando perdeu de 3 a 0 para o Mogi Mirim-SP, o time mineiro entrou em campo tentando segurar as ações. O Paysandu ia para cima, mas sem muita força ofensiva. A marcação deu as cartas nos primeiros 45 minutos.
Os dois times voltaram do intervalo com as mesmas formações, mas com o bicolor bem diferente. O Paysandu esteve melhor, acuando o adversário e logo aos três minutos teve uma penalidade marcada a seu favor. O lateral direito Yago arriscou de longe e a bola bateu no braço do zagueiro Wesley Ladeira. O volante Augusto Recife cobrou com tranquilidade para abrir o placar.
Aos onze, o mesmo Wesley Ladeira quase empatou ao cabecear numa cobrança de escanteio e obrigar o goleiro Douglas a uma grande defesa. Tendo que ir para cima, o Tupi deu espaços para contra-ataques e assim o Papão ampliou, aos 18. Depois de um chutão para frente, o atacante Ruan foi mais espero que o marcador e cruzou da direita para o também atacante Bruno Veiga escorar para a rede.
Aos 35, um lance que acabou mudando a partida. O volante bicolor Zé Antônio recebeu cartão vermelho e deu mais espaços ao Tupi, que foi para o abafa. Quatro minutos depois o meia Ewerton Maradona acertou um belo chute para mais uma grande defesa de Douglas. Mas, aos 40, o goleiro bicolor teve sua única falha na partida e do lance saiu o gol mineiro. No escanteio, o camisa um subiu atrapalhado pelos adversários e pelos próprios zagueiros do Paysandu e afastou parcialmente o cruzamento. A bola sobrou livre para Bruno Barros chutar e diminuir a vantagem do Papão.
**Fonte Portal ORMNews

sábado, 18 de outubro de 2014

Ficha do Jogo: Paysandu-PA X Tupi-MG


Campeonato Brasileiro
Serie C - Quartas de Finais

Local: Mangueirão (Belém)
Data: 18.10
Hora: 16hs.
Ingressos: Arquibancada: R$40,00 e Cadeiras: R$80,00

Arbitro: Rodrigo Batista Raposo-DF
Assistentes: Marrubson Melo Freitas-DF e José Reinaldo Nascimento Junior-DF

Paysandu
Douglas; Charles, Fernando Lombardi e Pablo; Pikachu, Augusto Recife, Zé Antônio (Capanema), Héverton, Airton; Ruan e Bruno Veiga
Técnico: Mazola Junior

Tupi
Rodrigo; Henrique, Wesley Ladeira, Fabrício Soares e Raphael Toledo; Genalvo, Léo Salino, Maguinho e Éwerton Maradona; Chico e Élder Santana
Técnico: Léo Condé

Paysandu e Tupi iniciam disputa no mata-mata que vale acesso à Série B

Paysandu e Tupi se enfrentam neste sábado, na primeira de duas partidas que definirão o futuro dos clubes na temporada 2015. O confronto é válido pelo mata-mata da Série C, que já vale o acesso à Segundona do ano que vem. Em campo, a força da camisa, a individualidade e o apoio da torcida do Papão, que deve lotar o Estádio Mangueirão, em Belém. Do outro, o favoritismo normal pelo primeiro lugar na fase de grupos e o excelente conjunto do Galo mineiro. O jogo entre as duas equipes tem início às 16h.
A primeira fase da Série C começou em baixa para o Paysandu. O time chegou a ocupar a sétima posição do Grupo A, beirando a zona de rebaixamento. Ainda com o técnico Vica, o bicolor ficou nove partidas sem vencer na competição. Porém, em agosto, Mazola Júnior retornou ao comando do clube após uma passagem pelo Bragantino e deu um novo ânimo ao elenco, que ganhou gás e conseguiu uma classificação quase que improvável na última rodada.
O Tupi, por outro lado, não teve grandes dificuldades na fase de grupos. Os mineiros foram os primeiros colocados da chave B, com 34 pontos. A seu favor, o Galo ainda conta a maior série invicta do futebol brasileiro. Com 12 jogos de invencibilidade, o clube de Juiz de Fora, campeão da Série D em 2011, tem driblado o orçamento limitado e as dificuldades estruturais para emplacar uma boa campanha e ser um dos principais concorrentes ao acesso à Série B.
A arbitragem da partida será do brasiliense Rodrigo Batista Raposo, com as assistências de Marrubson Melo Freitas e José Reinaldo Nascimento Junior, ambos também do Distrito Federal.
**Fonte GloboEsporte/PA

Agora é jogo decisivo

Paysandu encara o Tupi, no Mangueirão, com o objetivo de fazer gol e não tomar para decidir a vida em Minas

Depois de uma classificação que beirou o impossível, com uma vitória fora de casa e a composição de mais três resultados favoráveis, o Paysandu volta a campo hoje para o primeiro dos dois jogos mais importantes do ano. Neste e no próximo sábado serão dois confrontos com o Tupi-MG e, quem passar deste mata-mata, estará na Série B do ano que vem. A partida será 16 horas, no Mangueirão.
Durante 18 jogos da primeira fase da Série C do Campeonato Brasileiro, o Paysandu penou par se manter entre os primeiros quatro colocados do Grupo A. Depois de um início tranquilo, o time degringolou e chegou a flertar com a zona de rebaixamento. Somente nas últimas seis rodadas é que o Papão conseguiu uma surpreendente recuperação, ainda assim entremeada por uma derrota em casa na 16ª rodada que quase põe tudo a perder. 
Para os jogadores e a comissão técnica, todo o sofrimento - em parte proporcionado por eles mesmos - que foi a primeira fase deixou o time mais forte. Tecnicamente o Paysandu cresceu quando se deu conta de suas limitações e das peculiaridades do que é a Terceira Divisão do futebol nacional. Deixou de ser uma equipe que fazia muitos gols e sofria praticamente a mesma quantidade para uma que faz menos, mas em compensação quase não é mais vazada.
“A gente evoluiu no momento certo, quando o grupo foi chamado a dar a resposta. Encontramos a forma de jogar, o grupo se fechou e acredito que o time não vai mudar como vem jogando”, comenta o atacante Bruno Veiga, uma das gratas surpresas entre os que foram contratados no meio da competição.
Sabedores de suas limitações, os bicolores se tornaram um time dos mais competitivos dentre os oito que ainda estão na disputa. De longe não é o melhor no quesito futebol apresentado, mas a experiência de um elenco quase todo acostumados a momentos decisivos pode ser o diferencial.
**Fonte JAmazonia